Descubra Ceará

Nas serras do Ceará temos um clima agradável, tranquilidade e o ar fresco, e o contato com a natureza o aguarda com temperatura que varia de 17°C a 22°C. As serras da Ceará, longe da costa, oferecem várias formações montanhosas, cuja altura é superior a 1000 metros, de flora e fauna únicas.

 

As montanhas do Ceará, onde a temperatura mínima chega a 17°C, e os vales achatados, de beleza exuberante, representam a horticultura. Nelas, são utilizadas as nascentes dos rios e das cachoeiras, um cenário ideal para a prática de esportes de aventura.

O relevo úmido da caverna Ubajara combina o maior potencial da vegetação do estado, com florestas de árvores de até 30 metros de altura.

As reservas naturais mais importantes são as encostas úmidas da Serra do Ceará, a Chapada da Ibiapaba e do Araripe, onde estão localizados o Parque Nacional de Ubajara e a Floresta Nacional do Araripe.

 

Repletas de lindas flores, trilhas, grutas e cachoeiras, as cidades serranas do Ceará são a fuga necessária das luzes, do barulho e da fumaça das grandes capitais.

Maranguape

Cidade serrana pertinho de Fortaleza

Perto de Fortaleza e somente a 26 km do centro da capital, Maranguape é outro grande atrativo turístico do Ceará. Terra do humorista brasileiro Chico Anysio, o município recebe centenas de turistas todos os finais de semana interessados em visitar o Ypark. O local de entretenimento e cultura oferece como atrações atividades esportivas, restaurante e o Museu da Cachaça, que guarda a história da fabricação dessa bebida no Brasil.

Reduto da orquídea Cattleya labiata, uma das mais bonitas e comercializadas do Brasil (teria inspirado a criação do perfume Channel nº 5), a Serra de Maranguape oferece aos turistas mais aventureiros a Pedra da Rajada, um dos pontos mais altos do Estado. A trilha que leva até esse espetáculo da natureza oferece uma certa dificuldade, não sendo adequado a pessoas sem preparação física. No entanto, a vista de toda região faz o passeio valer a pena.

Pacatuba

Serra de Aratanha

Distante apenas 35 km de Fortaleza, encontra-se a cidade de Pacatuba. Região de antigas fazendas de café, a cidade conseguiu preservar seu centro histórico, remetendo seus visitantes a um tempo em que o Ceará começava a existir.

Para além do espetáculo teatral "Paixão de Cristo", sempre na semana de páscoa, um dos principais eventos turísticos da cidade, Pacatuba oferece a seus visitantes a Serra de Aratanha. A reserva natural de Mata Atlântica proporciona aos que gostam de se aventurar trilhas, banho de cachoeira e até uma lagoa no topo da serra. O caminho que leva até o Açude Boaçu dura cerca de três horas, sendo cobrada uma simbólica taxa de R$ 5 pelo banho em suas águas. Como dica, é interessante consultar com moradores locais as condições do passeio ao chegar à cidade.

A Estação Ecoturística Park da Bica das Andréas é um balneário com um conjunto de bicas e piscinas naturais alimentadas pelas águas da Serra de Aratanha. Funciona todos os dias da semana.

Baturité

a serra verdadeira

Transição entre os biomas de Mata Atlântica e Mata Amazônica, a serra de Baturité abriga a maior área de proteção ambiental do estado do Ceará, com mais de 32 mil hectares.

 

O vento frio, mesmo com sol a pino, deixa tudo mais agradável. Os principais sítios fazem parte da Rota Verde do Café, marcada por práticas sustentáveis, como o cultivo orgânico à sombra.

Baturité possui áreas propícias para prática de esportes de aventura e um grande acervo cultural espalhado por toda a cidade, como museus, monumentos e edificações centenárias. E um dos mais belos é imponente Mosteiro dos Jesuítas, antiga casa apostólica da Companhia de Jesus, construída há 95 anos. Causa admiração o seu belo jardim, repleto de plantas e flores das mais diversas qualidades, e até de plantas raras. No centro, a imagem de Nossa Senhora; e a seus pés, um tanque cheio de tilápias ornamentais vindas do Egito. Momento de muita paz e harmonia em sua visita ao nosso Ceará.

Pacoti

Uma cidade pequena e encantadora

Pacoti é o nome do rio que nasce ao extremo sul da Serra de Baturité, o qual banha o município. Há divergências quanto ao significado da denominação. Lagoa das Cotias, Rio das Pacovas (banana) e Rio das bananeiras, segundo a língua dos indígenas – antigos habitantes desta terra – são alguns dos significados possíveis. Ainda existe a hipótese de se chamar “Voltado para o Mar”.

 

  • Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição (Construída em 1885)

  • Capela Nossa Senhora das Graças

  • Polo de Lazer de Pacoti

  • Arco Nossa Senhora de Fátima

  • Capela da Donaninha

  • Sítio São Luís - localizado no Distrito de Santana

Mulungu

Linda cidade serrana

Mulungu, cidade serrana que completa as cidades do maciço de Baturité, é cercada de muito verde e tem como a força de sua economia seus atrativos naturais, não só serra em si, mas seu clima agradável, suas paisagens, suas quedas d'água e suas piscinas e duchas naturais. Entre as maiores atrações, temos as Cachoeiras do Coicó, da Santa Maria e a Barragem do Chicó.

 

Os mirantes também são muito requisitados, de onde podemos ver a região serrana do Maciço de Baturité em meio à região sertaneja do Ceará, com visão das cidades de Canindé e Caridade, além de poder assistir a um belo pôr do sol, tudo pelas vistas panorâmicas do Bonfim e Ladeira Nova.

Guaramiranga

A cidade das flores, serra e do Jazz

R$ 90,00

A cidade de Guaramiranga, que significa na língua tupi “pássaro vermelho”, dista 110 km de Fortaleza. A comunidade montanhosa está localizada a uma altitude de 865 metros acima do nível do mar, na reserva natural das Montanhas do maciço de Baturité, com temperatura agradável, variando entre 18 e 25ºC. A deslumbrante paisagem oferece um clima único e uma vegetação típica da Mata Atlântica, que desenham o seu mundo floral. Vale a pena visitar a igreja da caverna, com o antigo mosteiro de belo jardim florido, que agora é um albergue, além da trilha ecológica educacional, da armadilha d'água e do parque Handara. O Pico Alto, a montanha mais alta do Ceará com 1100m, atrai o andarilho. Curiosidade: Durante a temporada de carnaval, a cidade organiza um festival de jazz, que já faz parte do seu calendário de eventos anuais.

Quixada

A cidade dos Monólitos

Agraciada pela natureza, a cidade de Quixadá, a 167km de Fortaleza, é na opinião dos praticantes de esportes radicais um dos melhores lugares do planeta para o voo livre. Também conhecida como Terra dos Monólitos, agora começa a atrair os olhares para outra atividade: a escalada de montanhas. O seu entorno, num raio de até 15km, é ideal para escaladas e rapel. Quem se dedica com frequência a esse esporte considera Quixadá a “Meca” do montanhismo no Ceará. Além do clima quente característico do sertão, em Quixadá também temos um lugar bastante turístico, que é a represa do Cedro, uma das mais lindas obras de contenção de água. Além disso, avistamos uma das mais belas formações rochosas do Brasil, cartão postal da cidade, que é a famosa Pedra da Galinha Choca.

Tianguá

A capital da Ibiapaba

 

A serra de Ibiapaba conhecida como serra Grande, ou Chapada da Ibiapaba

Uma região atraente em riquezas naturais, que já era habitada por diversas etnias indígenas, entre elas os índios tabajaras, para muitos é ainda mais bela que a Serra da Meruoca. Os povos que nela viviam já negociavam diversos produtos naturais com povos europeus, como os franceses, antes mesmos da chegada dos portugueses. Foi habitada, inicialmente, por índios tabajaras e tapuias, como a índia Iracema, que se banhava na bica do ipu, bastante retratada no livro Iracema de José de Alencar.

 

A cidade mais antiga da serra é Viçosa do Ceará, que foi colonizada pelos jesuítas da Companhia de Jesus a partir do século XVI. Também se encontram as cidades do Tianguá; Ubajara; com sua famosa Gruta de Ubajara e o bondinho do Parque Nacional de Ubajara; São Benedito; Ibiapina; Croatá; Guaraciaba do Norte, que neste município encontra-se a cidade de pedras; Carnaubal; e Ipu, com sua famosa bica (cachoeira) de 135m de altura, que fica no sopé da serra da Ibiapaba, uma dose maiores atrativos para a visitação na região.

 

Tianguá, conhecida como a Capital da Ibiapaba, dispõe de melhores acomodações, bem como serviços de restaurantes e bares, sendo possível, dela, partir para os atrativos naturais da região.

 

Preços sob consulta

Parque Nacional de Ubajara

Maravilhosa vegetação e a Gruta de Ubajara

É muito procurada por turistas por ser o Parque Nacional de Ubajara um dos menores parques nacionais do Brasil. Nele encontra a Gruta de Ubajara acessível por meio de teleférico.

 

Gruta de Ubajara

 

Localizada no Distrito de Araticum, a 3 km da sede, a Gruta de Ubajara é um dos principais atrativos do Parque Nacional de Ubajara. O trajeto feito por trilha natural, margeando um riacho ou por teleférico durante 2 a 3 minutos, oferece ampla visão do parque.

 

Apesar do potencial natural e geográfico para o turismo, esta atividade vem perdendo força nos últimos meses devido à falta de políticas públicas adequadas para a atividade. A cidade foi considerada, por muitos anos, a "joia da coroa" da região ibiapabana.

 

Todos os anos, ocorre a FEPAI (feira de produtos agrícolas da serra da Ibiapaba), além da exposição de animais e o Festival de Floração do Maracujá.

Viçosa

A rainha da Ibiapaba

Viçosa do Ceará é o primeiro município criado na Serra da Ibiapaba que, inicialmente, foi habitada por índios Tabajaras pertencentes ao ramo Tupi, anacé, arariú e croatá do ramo Tapuia.

 

No ano de 1700, os padres jesuítas, Manuel Pedroso e Ascenso Gago, fundaram oficialmente a "Aldeia da Ibiapaba", onde hoje se situa Viçosa do Ceará.

Viçosa do Ceará dispõe de belíssimas cachoeiras abertas para visitação.

  • Poço da Princesa

  • Cachoeira do Itarumã

  • Cachoeira da Pirapora

  • Cachoeira do Engenho Velho

  • Pedra do Machado

  • Pedra do Itagurussu

Chapada do Araripe

Geopark Araripe

A Chapada é uma grande muralha que divide os estados do Ceará, Pernambuco e Piauí. Em seu entorno, há inúmeras fontes de água, graças às rochas que a formam, com uma função similar à de uma esponja.

 

Com água farta, a vegetação está sempre verde, mesmo em tempos de seca persistente. Com um bioma predominante de caatinga, e áreas de cerradão e mata atlântica, possui como símbolo uma espécie endêmica de pássaro (só encontrada por lá), o pequeno Soldadinho do Araripe, com sua crista vermelha que parece um quepe.

 

Tamanha diversidade atraiu, há milhares de anos, homens pré-históricos que encontraram um oásis em meio ao sertão. Há poucos séculos, os índios da etnia Kariri, que ali viviam, começaram a ser aldeados por jesuítas, ou simplesmente assassinados pelos homens que chegaram para colonizar a região, que fez parte da chamada “civilização do couro”. Trazendo o gado, depararam-se com terra fértil para plantar e por lá ficaram.

A chapada do Araripe se diferencia das outras quatro por estar em uma região semiárida, e a presença de água em seu entorno faz com que ela ganhe status de oásis. Nela, foi criada a primeira floresta nacional do Brasil, em 1946. A Floresta Nacional do Araripe-Apodi, ou mesmo FLONA, para os íntimos, possui 39.262,326 hectares e abrange parte das cidades de Barbalha, Crato, Jardim e Santana do Cariri.

Please reload